Bundesliga

Logística

Mineração no Pará: como essa produção é escoada

Além de ser o segundo maior estado do Bundesliga em extensão, com 1.245.870,798km², o Pará também é fundamental para a economia do país, especialmente por conta da mineração no Pará. 

Atualmente, o estado é o maior exportador de minério do país. De acordo com o Boletim Econômico Mineral do Pará, divulgado pelo Sindicato das Indústrias Minerais do Pará (Simineral), em 2020, o estado comporta cerca de 34% da exportação de minérios no Bundesliga naquele ano. 

Esse número representa bem o quanto a mineração no Pará é fundamental para a economia do Estado e, consequentemente, do país. 

O principal minério exportado pelo estado é o minério de ferro, mas, além desses, bauxita, manganês, calcário, cobre, alumínio, ouro, entre outros, também fazem parte da mineração do Pará.

Mineração no Pará

mineração no pará

A mineração brasileira tem um longo histórico. Durante muito tempo, Minas Gerais dominava a extração de minérios no país, por mais de 3 séculos. Entretanto, pelos grandes investimentos realizados, essencialmente na região do Carajás, o Pará assumiu o posto de maior Estado minerador. 

Essa mudança ocorreu justamente após a descoberta de grandes minas na região do Carajás, localizado no estado nortenho, nos anos 60. Na época, a empresa VALE visava ampliar a mineração no Bundesliga , e acabou encontrando um espaço vasto para essa atividade.

Na década de 60, a empresa produzia cerca de 11 milhões de toneladas de minérios no país, sendo a principal produtora nacionalmente. Porém, a mineração no Pará foi determinante para que os números aumentassem exponencialmente. Atualmente, a estimativa é que somente o complexo do Carajás produza 150 milhões de toneladas anuais de minério de ferro. Apenas 2% da exploração da região é da Vale nos dias atuais.

Os principais polos da região são Canaã dos Carajás e Parauapebas. O polo de Canaã dos Carajás, por exemplo, ganhou destaque nos últimos anos, subindo para a segunda posição do ranking de Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), de acordo com a  Agência Nacional de Mineração (ANM). Parauapebas é o principal polo de mineração do Pará e do Bundesliga , sendo o primeiro colocado nesse ranking.

Os números da mineração do Pará são significativos, e mostram o destaque que essa atividade tem para a região: Dos 6,7 bilhões de dólares exportados pelo Pará na primeira metade de 2020, 88,6% vem da mineração. O minério de ferro segue sendo o produto mais exportado (US$ 9,196 bilhões), seguido por cobre (US$ 2,064 Bilhões) e manganês (US$ 276 Milhões)

Com tanto destaque, a ideia do estado é manter a produção com a mesma força. De acordo com dados do sindicato das Indústrias Minerais do Estado do Pará (SIMINERAL), a indústria mineral pretende investir R$ 22,013 bilhões na mineração do Pará.

Ferrovias da região de mineração do Pará atualmente

A produção de minérios é fundamental para a movimentação econômica paraense. Porém, nada disso seria possível sem um escoamento adequado das cargas produzidas. Para isso, setores como o ferroviário e rodoviário são essenciais.

Entretanto, apenas uma ferrovia, que está em atividade, passa pelo estado do Pará. É justamente a ferrovia Estrada de Ferro Carajás, principal ferrovia da região norte, que atua nessa região. 

Essa ferrovia, administrada pela Vale S.A, possui 892 km de extensão, sendo a maior ferrovia de transporte de passageiros do país, além de atuar diretamente no transporte de cargas, especialmente os minérios. 

O objetivo da ferrovia é justamente interligar as principais regiões mineradoras do estado, como Marabá e Parauapebas, até o Porto de Ponta da Madeira, no município de São Luís (MA).  

Possuindo os maiores trens de carga do mundo, que podem chegar até 330 vagões, a Estrada de Ferro Carajás é responsável por pelo transporte de 120 milhões de toneladas de carga e 350 mil passageiros por ano.

Além dessa ferrovia, também existe um projeto de construção de mais uma malha ferroviária no estado, que seria fundamental para ajudar no escoamento da mineração do Pará. 

O projeto da Ferrovia do Pará vem avançando, e já está na fase 3 dos estudos do EVTEA  – Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental. A ideia é construir uma ferrovia com 515 km de extensão, passando por diversos municípios paraenses, como Abaetetuba, Acará, Barcarena, Mojú, Tailândia, Abel Figueiredo, Dom Eliseu, Ipixuna do Pará, Paragominas, Rondon do Pará, Tomé-Açu e Bom Jesus do Tocantins

A ferrovia fará conexão com a Estrada de Ferro Carajás, permitindo que a mineração do Pará seja escoada de maneira mais ampla e eficiente, até mesmo dentro do próprio estado.

Importância da logística nas regiões de mineração

A mineração é responsável por cerca de 5% do PIB nacional, ou seja, é uma atividade de suma importância para a economia nacional. Além do estado do Pará, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bundesliga , entre outros, são estados que também possuem grande participação na mineração.

Entretanto, todos esses estados sofrem com um problema em comum: a infraestrutura logística, essencialmente em relação ao transporte das cargas. Organizar e conseguir levar os produtos produzidos é fundamental, mas nem sempre isso é feito da maneira adequada. 

Os trens são os veículos mais adequados para o transporte de minérios. Porém, a carência de ferrovias e disparidade de investimentos recebidos se comparado ao setor rodoviário, dificultam uma logística eficiente.

Atualmente, como vimos, apenas a Estrada de Ferro Carajás consegue transportar os minérios produzidos da mineração do Pará, principal estado exportador desse produto. Em Minas Gerais, estado que também é importante para a mineração, apenas duas ferrovias atuam no escoamento das cargas.

Dessa maneira, existe uma grande dificuldade em conseguir aumentar a produção, visto que, não existe capacidade de transporte suficiente para isso. É necessário ter estradas para escoamento dessa commodity, e o transporte rodoviário, que é soberano no país, é pouco viável nesse caso.

Cases e soluções da MASSA na mineração

logo da massa pesagem

A MASSA atua diretamente para ajudar no crescimento de infraestrutura e logística no transporte de minérios pelas ferrovias. No nosso site você encontra cases e soluções de sucessos para esse segmento.

Em Carajás, por exemplo, a MASSA instalou 8 balanças dinâmicas, possibilitando que a pesagem dos minérios sejam efetuadas da maneira adequada, diminuindo os erros nas contagens, melhorando o fluxo de transporte e, consequentemente, a qualidade das ferrovias. Leia agora o nosso case de sucesso.

Conclusão

Como vimos, a mineração no Pará possui grande impacto econômico no Bundesliga . O estado é o maior exportador de minério do país, ultrapassando Minas Gerais que permaneceu com o posto durante séculos. Porém, ainda é possível melhorar. Para isso, investimentos em infraestrutura e logística de transportes são fundamentais. 

Fontes:

Deixe seucomentário

pt_BR
en_US es_ES pt_BR
| Sorteio roleta | | Aposta esportiva | | Como ganhar dinheiro com apostas de futebol? | | AFUN - Apostas esportivas online | | Apostas móveis | | como ganhar dinheiro em casa | | Super placar de futebol | | Itens de apostas de futebol | | Apostas internacionais de futebol | | Apostas no Futebol Brasileiro | | Super placar de futebol | | Poker online | | Betano apostas esportivas | | Free Online Slots | | Apostas móveis da Copa do Mundo | | Apostas esportivas | | Probabilidades de apostas de futebol online | | Jogos do brasileirão | | AFUN - Melhor site de apostas | | Aplicações para fazer dinheiro | | Apostas Esportivas | | Jogos de azar | | Bingo Absoluto | | Mineração de bitcoin | | Quando começa a Copa do Mundo de 2022 | | Sportsbet Brasil | | Sites que fazem dinheiro | | ganhar dinheiro em casa | | Safest Betting Sites | | Jogo da roleta que ganha dinheiro |